Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010

Há um cansaço em mim

Imagem
(Imagem: Google)
Queria ser como os outros
E rir das desgraças da vida
Ou fingir estar sempre bem
Ver a leveza
Das coisas com humor...  (Renato Russo)
Há um cansaço em mim e eu nem sei por que estou assim fecho os olhos devagar e sinto um anjo triste se sentar ao meu lado calado.
É muito fácil aconselhar dizer que tudo isso vai passar mas só meu peito sabe difícil é ter forças para lutar quero que Deus me salve
não posso ir embora agora... justo agora... o amor me veio deixando uma flor



Jaquelyne Costa - Janeflí desde nascença

Jaquesou meio lispectoriana

Imagem
Existem muitas em mim
como Clarice mesma dizia...
é uma loucura
eu me acostumo
me estranho
brigo comigo

mas depois me amo.


Jaquelyne Costa - Janeflí desde nascença

Amor que veio

Imagem
E é quando tu me vens, Assim sabendo que tu me és, Nos meus sonhos mais lindos eu me ponho a navegar alheia Nas ondas de teus olhos apertadinhos: castanhos universos que circundam um infinito passeio pela galáxia do teu céu pírico
- alimento e fonte de meu amor que veio. Tudo aquilo que está dentro do teu peito Está no meu também, E é por isso que derramo tanto Essas palavras carregadas de blandícia eterna Desejo ardentemente que elas não repousem somente no papel quero guardá-las nos teus ouvidos lacrando-as com beijos calmos e candentes. Meu peito tem uma coisa Que nunca envelhece Que nunca mudará Um metal carmim adocicado, Chamam a isso coração, O portal que guarda um tesouro: O amor que eu tenho Esperando-te bater E se abrirá feliz para te dar. Quando tu entrares por lá Entrega-me as chaves Porque eu as quero perder Para nunca mais tu, de mim, saíres.

Jaquelyne Costa - Janeflí desde nascença

À noite me despido

Imagem
No mar A lua é pescadora de olhares E arrebata além das estrelas. É meu trabalho Contemplá-la toda vez De céu rosado Parece que ela se veste Para o amor dourado Que não tarda chegar. Da janela A lua pesca minha alma E deixa em minhas mãos Uma sabedoria letrada E, despida, Me despido da muda cegueira.
Jaquelyne Costa - Janeflí desde nascença