À noite me despido



No mar
A lua é pescadora de olhares
E arrebata além das estrelas.
É meu trabalho
Contemplá-la toda vez
De céu rosado
Parece que ela se veste
Para o amor dourado
Que não tarda chegar.
Da janela
A lua pesca minha alma
E deixa em minhas mãos
Uma sabedoria letrada
E, despida,
Me despido da muda cegueira.

Jaquelyne Costa - Janeflí desde nascença

Comentários

D.A.V.I. "Tinho" disse…
Show! Yeah!
Não me despeço, deixo pra você meu "até breve".
Armando Roda disse…
Sempre me delício e fico mais leve ao passar por aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido