Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2008

Essa ânsia em amar...

Imagem
A Florbela Espanca

Essa ânsia em amar, ingrata;
esse gosto de amor assim
virou tormento constante sem fim
é flor repleta espinho, me mata.

Numa tarde de primavera sem flor, sem nada
não trouxe sequer essência para mim
não veio na companhia dum lindo jasmim
é laço vascilante que nunca se ata.

Em meu peito essa brasa que queima
é como as mãos dum sol que arrasa
e ainda se a chuva acalmar queira,

trazer doçura e paz à minha alma,
aí, então, eu poderia feliz sorrir
pela água que purifica e acalma...



Em você

Imagem
Quantas coisas são possíveis quando você está longe? Quando você está longe? E quantos dias passam normais sem você aqui? E se você aqui...? Longas as manhãs, as tardes, as noites infindas, minutos intermináveis, e você também infinito nestas páginas pinceladas pela poesia alheia. Espero a volta da volta a vinda da vinda a vida que deixei passar na esperança. Quantos lugares ainda restam que eu não os tenha regado com as flores de minhas lágrimas? E quantos passos não caminhados por meu olhar, esse triste movimento vago? Mas eu vou continuar tentando vou acertar no difícil novamente porque sou impossível esse meu amor é irreversível ponteiro caminhando no sentido contrário sempre. Deixei uma carta em cima da mesa não precisa ler se não quiser ela está em você, você sabe muito bem o que escrevi