Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2008

Tristeza solitária de um fim de tarde

Imagem
Foto: Jaquelyne Costa

Ontem, quando o sol caia no chão distante,
as andorinhas todas foram se recolhendo,
uma a uma desaparecendo.
Me atacou uma tristeza infinita,
dorida,
por não poder me juntar a elas
e me perceber definitivamente só.





Jaquelyne de Almeida Costa

Desaforismo da vez:

Imagem
Nem só de agiotagem vive o homem.

É impressionante como as pessoas estão sempre buscando sugar tudo umas das outras...
e ainda dizem que só político é corrupto...

Diamante de carne

Imagem
Vem para os meus braços
Me exorciza
Me renova com teu corpo
Nesse silêncio lento
Onde valso esse desejo louco.
Me dá um pouco
Dessa tua boca,
Dessas tuas mãos
Dessa tua voz rouca.
Uma flor-delícia
Desmancha em meu seio
Como uma carícia
Que de teu firmamento veio
Trazendo uma canção
Explodindo acordes
De insana intensidade:
Candente emoção.
Amor é necessidade
E antes que o sol acorde
Eu vim para te dizer
Segredos da lua
Que me fazem ficar como estrela
Querendo despencar do céu
Que esse azul flutua
Como um aprendiz
Que em teus olhos
Busca ser feliz.
Me exorciza
Tira de mim aquilo que eu guardei
E é disso que precisa
Um amor eterno
Aquele que sonhei.
Eu vim para que possas acreditar
No desejo verdadeiro
De nunca ser sozinho
De ser totalmente inteiro.
Desmancha em meu seio
Um diamante de carne
Que bate violento
Pulsando vermelho
O anélito que dividi-se ao meio
Duas metades de mim:
uma é corpo sem destino
quando sozinha num quarto esguio,
quando me canso de me dar;
a outra é completa e afortunada
quando me deixo por ti levar
a um lugar…

Apenas

Imagem
Me ouça, apenas, Como música. Me veja, apenas, Como cinema. Me sinta, apenas, Como a essência natural das coisas. Me tenha, apenas, Como um poeta e seu poema.

Jaquelyne de Almeida Costa