Corporamor


Marco na pele
A tua grafia
Em vão me
repeles.




Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

A beleza de um jardim
não depende do tamanho
das flores,mas da variedade
se seu colorido: assim, a felicidade
não depende de grandes alegrias,mas
da variedade de muitos e pequenos
momentos felizes que colhemos ao
longo da vida.

beijooo
Menino-Homem disse…
marco na vida
tua sintonia...

beijos...
amor, amor meu.
Ana,

adoro tuas mensagens!

Elas mudam o dia!

Grande beijo=*
Abraão,

amor,
te marco no meu pensamento
porque a qualquer momento
eu preciso de ti...

beijos, amor meu...
Léo disse…
Jaque desafiou... Eu aceitei o desafio.

Nossa... Essa frase e de difícil entendimento. Demorei uns 5 min. me interrogando...

"Marco na pele a tua grafia"

Aqui tem uma declaração física de amor e desejo... não é só em sentimentos... Houve um contato... marcou na pele também.

"Em vão me repeles"

Aqui é complicado. Seria um não-entendimento dos sentimentos femininos por parte do Homem?
Se ele não entende a tua grafia, logo ele repele todo o seu ser, ainda que ele o faça por desconhecimento do sentido poético.

Me corrija se eu não entendí ao certo o que se quis passar.

Direto do Rio.
Beijão linda
Léo disse…
Ah... sem contar a tua foto.

Um mixto de desilusão amorosa.
Sentas de modo despreocupado com o que vão achar de seus modos... Nada importa agora, as mãos na nuca pede socorro poético, Ele não a entende como você queria... os olhos fechados são a afirmação de tal coisa, sinto o seu suspiro de desânimo.

Dito que esta foto me ajudou em muito a interpretar a frase que foi um verdadeiro desafio para mim.

Agora eu não sei o quão distante está a poeta de seus textos? Espero que bem distante... pois tais sentimentos é horripilantes.

Direto do Rio.
Beijos.
Quando amarca é na pele, impossív el esquecer...

Belas lembranças...

Um beijo com carinho!

Sonia Regina.

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não