Blogagem Coletiva - Somar Acompanhado

Ester, meu poema não chega a tocar as unhas dos teus. Mas, mesmo assim, insisto com o que tenho. Inclusão Social é um tema muito sério, e precisa ser levado a sério por todos, principalmente por aqueles que são eleitos para lutar a favor dos direitos humanos.



Passam por mim com o que sobrou de suas roupas
E eu, covarde, finjo não os ver.
Alguns tiram da lixeira dum grande supermercado
E eu, constrangida, fecho os olhos.
Outros apanham de polícias
E eu, dorida, viro o rosto.
Sentam em esquinas pedindo ajuda
Distribuem papéis e canetas por um valor irrisório
Tantos perambulam pela rua
(e eu, confortavelmente, no meu escritório)
Quantos morrem de frio, fome, e desesperança?
E eu continuo a passar por eles
Sem uma atitude tomar
Mas volto para casa entristecida,
Sinto-me pelo cansaço vencida
Porque sozinha não posso ajudar.
É necessário a muitos acordar
Fazer com que despertem para o outro
Ensinando o ofício do pescar
Entregando a coragem,
Mostrando que todo mundo é capaz
Possibilitando um amanhã novo
Repleto de esperança,
Continuação do ciclo da vida.
Um dia me disseram
Que compartilhar é bem melhor que dividir
É um somar acompanhado
Para que o irmão também possa prosseguir
Porque piedade sem ação é pena,
E pena não é útil a quem precisa.









Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

D.Ramírez disse…
Belissima postagem, poesia linda!!!
Adorei.
Besos
Janaina Brum disse…
Belíssimo, Jaque, vamos blogar! Bjs
Jaquelyne disse…
D. Ramírez e Jana!
Obrigada!
Ainda escreverei um texto mais inteligente!!!
Beijos para vocês!
Elaine disse…
Olá!
Jaque, lendo seu belo poema eu fiquei me vendo em cada situação que você descreve tão bem. Fazemos isso mesmo, né? No compadecemos enquanto viramos o rosto para esquecer...
Boa semana para ti, menina.
Mateus Araujo disse…
ownnnnnnnnnnnnn *_*
vc gosta de Cecília Meireles *_*

Lindo blog ;)

Bjim
Jaquelyne disse…
Isso mesmo, Elaine!
Nós temos em nós uma incrível capacidade de nada-fazer.
É impressionante!!
Obrigada, amiga, pela sua postagem!
Beijos
Jaquelyne disse…
Mateus, eu amo Cecília Meireles!!Ela é demais !

Obrigada pelo elogio!!
Volte sempre por aqui!
Beijos=*
Philip Rangel disse…
Muitas vezes pergunto como que simples atos de verdade como foi desempenhado pela Ester, nos faz entrar nesse mundo magico de verdade; esse mundo que ao mesmo tempo falamos de algo serio, encontramos novos amigos, novos conteudos. Isso se chama mudança, isso é incluir na sociedade, mostrando o que somos capaz. E hoje ao ler seu conteudo deparo com varias suspresas como essa, que faz eu parabenizar a vc.. pelo excelente trabalho...

Continuemos....abraços

"A gente nao faz amigos, reconhece- os"
Vinicius de MOrais
Andréa disse…
Gostei ! Somar acompanhado !
Tonho disse…
Valeu Jaque!
Gostei D+
Abraços
Jaquelyne disse…
Philip Rangel!!!
Teu comentário é muito sensível e lindo!Obrigada por vir até aqui!
Eu tento fazer a parte que me cabe...Ainda não estou madura neste tema e em muitos outros, é precisor entender mais...
Quanto a frase de Vinicius, eu concordo plenamente!
Sejamos amigos, meu querido!

Abraços
Jaquelyne disse…
Tonho!!
Muito obrigada!
Valeu você ter vindo até aqui!

Grande abraço!
Jaquelyne disse…
Andréa!
Pois é, temos que aprender a somar acompanhado para poder compartilhar!!

Abraços!
LINDA POESIA JAQUI...
SE CADA UM FIZESSE UM POUQUINHO, TUDO SERIA DIFERENTE NÃO É MESMO.
BJOS LINDA
Luciana disse…
LINDO TEU POST!
As vezes me sinto assim tbm...
€ster disse…
Querida Jaque,

passando super rápido (estou resolvendo problemas) só para dizer que volto para comentar,
me perdoe querida, estou em falta com vc e uma porção de outras pessoas maravilhosas das quais não consigui nem chegar perto dos blgs ainda,

vc sabe o quanto a admiro,

bjs na sua doce alma
Jaquelyne disse…
Minha Xará, Jacky!!
Obrigada pela sua delicadeza!!
Beijos, querida!
Jaquelyne disse…
Luciana, muito obrigada pela tua visita e teu comentário!
Beijos=*
Jaquelyne disse…
Ester, minha queirda Ester!!
Estava sentindo sua falta, sabia?
Sua presença me é muito importante!
Muito obrigada por ter vindo aqui!!
Grande beijo em sua doce face também!!
Cristiane Marino disse…
Parabéns!
Lindo seu poema, tem uma verdade de sentimentos nele que é fantástico, foi escrito com a alma!

Grande beijo
Elaine disse…
Olá!
Jaque, tem uma joia prá ti lá no blog, espero que goste.
Beijos.
Elaine disse…
Olá!
Jaque, tem uma joia prá ti lá no blog, espero que goste.
Beijos.
Valdeir Almeida disse…
Isso mesmo, "piedade sem ação é pena".

Quando atuamos em favor dos menos favorecidos estamos praticando um verdadeiro ato de inclusão social.

Quem olha com compaixão (e apenas olha) não tem consciência do que é a necessidade humana.

Abraços.
Cristiane!!
Muito obrigada!
Sim, ele foi escrito com a alma!
Tão é tão excelente quanto os dos colegas, mas foi sincero!!

Beijos=**
Elaine!!
Novamente me presenteando, hein?!!
Vou passar lá!
Obrigada!!
Beijos=*
Valdeir!
Muito obrigada por tua presença!
Obrigada pelo apoio!
E continuemos agora despertos para a VIDA!

Beijos=*
Skywalker disse…
Muito profundo o conteúdo da tua postagem. É muito bom saber que em uma sociedade cada vez mais individualista existem pessoas como você, que se importa e fica indignada com as mazelas da nossa sociedade.

Beijos

pa. visita meu blog.
Eduardo Santos disse…
Olá amiga. Seu poema é um hino à temática da inclusão social e não só. Ficaram-me algumas palavras que definem bem a sua sensibilidade para este problema. Gostei e de jornalista para futura - ou já jornalista - deixo-lhe os meus sinceros parabéns. Tudo de bom para si, cara amiga.
Olá, amigo!Muito obrigada por vir até aqui e comentar!
Esse poema foi escrito com a minha alma mesmo, coloquei nele todo o meu sentimento...
Ah, muito obrigada pelos parabéns!!
Desejo ser uma jornalista competente e sensível às coisas ao meu redor!
Abraços e volte sempre, Eduardo!
Skywalker!!
Muito obrigada por vir aqui!
Já estamos unidos por duas grandes forças: o jornalismo e a literatura!!!
Grande abraço!!
Já estou a te seguir, rapaz!!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido