Coral Quebrado


Conheci o mar
Quando nem o sabia
E toquei o mar:
Salgada água fria.
Mergulhei o mar
Dentro de uma bacia
E a voz do mar:
Concha vazia.
Eu bebi o mar
Traguei toda a salina
O sabor do mar:
Cristais de água-viva.
Eu vivi o mar
De meus antepassados
Mistério do mar:
Eu, coral quebrado.



Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

O mar e seus mistérios...

beijooo.
Ah,
o mar já haitou mistérios em muitos seres..


Beijos=*
Oi Jaque,

Lindo poema.
EU amo o mar!

Tenha um lindo final de semana!
Bjos
MR disse…
Que lindo! Adorei.
Poetisa de mão cheia.
MR
adoro o mar e ler este poema lembrou-me a infancia!bjs jaque bom fim de semana!
Menino-Homem disse…
belo.

com cor e sabor
imagens feitas de palavras tão lindas.

saudades,
carinho.

beijos muitos.
Ric Dexter disse…
Menina, você bebeu o mar??
Que sede, hein?!

Beijos!
MEUS PENSAMENTOS disse…
OI JAQUE SEUS POEMAS SÃO ESPECIAIS,SIMPLES MAS COM UMA EMOÇÃO EITA MENINA DANADA TE GOSTO VIU?BJS!
Ana,

o mar é sempre um senhor que fala ao ouvido....


Beijos=*
Joéliton,

muito obrigada, amigo!!

Um grande beijo pra vc!!
MR,

generosidade pura você!!

Que bom que gostou!!

Beijos=*
Guerreira,
é uma honra receber um elogio seu!!


Um grande beijo=*
Ric,

pois é...
andei bebendo a vida nesse manto azul...


Beijos=*
Márcia,

me arrepiei, viu?!!!
Obrigada, minha linda!!

Um enorme beijo nesse coração lindo!
Léo disse…
Mais um poema triste. Noto que você tem uma inclinação para poesias de cunho gótico, elevando os sentimentos ao extremo.

Direto do Rio.
Beijos.
Sim, Léo!
Eu acho que escrevo melhor poemas tristes, apesar de não me agradar da tristeza!
Veja que contradição! Só sendo Jaque Sou mesmo!


Beijos=*

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido