Eu corto os pulsos


Eu corto os pulsos

e vivo ferida

porque sou Poeta todos os dias.




Trecho do poema eu corto os pulsos.

Jaquelyne de Almeida Costa.

Comentários

Sonhos Amadores disse…
Sim, eu também... Mas esse trecho me feriu como uma navalha, pronto, lá estão eles cortados de novo!



Beijooss
Jaquelyne disse…
Bianca, você também se fere não é mesmo? Ainda mais sendo essa escritora maravilhosa que você é!!!
Mas a Poesia fere e cura nossa alma sensível!
Beijos,querida!
Giuseppe Menezes disse…
A poesia ajuda a drenar um pouco a nossa dor, expulsando um pouco daquilo que tanto nos perturba, não é?
Andréa Cristiana disse…
Jaque, como sempre, voce me impressiona com suas felinas&ferozmente doces poesias. Gostei. bjo
Jaquelyne disse…
Isso mesmo, Gepp!!
Ela me fere e me ajuda com o que me deixa maluca!!!
Jaquelyne disse…
Andréa, que bom vê-la por aqui!!
Muito obrigada pelo elogio!
O que faço é somente explodir o que há dentro de mim em demasia!!
Beijos, volte sempre!!
Jaque,

Para um poeta, às vezes bastam poucas palavras. Assim como no seu poema.

Beijos.
Jaquelyne disse…
Obrigada,Mi!!
As vezes uma palavra basta mesmo!!!
Beijos=*
Jean disse…
Pois mantenha essa historia de "corte de pulsos" só no reino da poesia viu dona Jaquelyne! Que coisa! Rssss

um abraço
Jaquelyne disse…
Sim sim, Jean!!Pode deixar!
Eu não tenho essência suicida!!!!!kkkkkkkkk........
Nem penso nisso!Aqui foi somente na figuração!!
Beijos=*
Menino-Homem disse…
doeu muito...! cada vez que te leio a "nudez" me alcança...
Jaquelyne disse…
E dói mesmo, meu querido!
Dói porque fomos marcados por essa tatuagem que nos é a Poeiesis.

Beijos=**

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não