Estou nas noites como uma brisa



Não consigo salvar de mim
essas tempestades que são teus olhares
as minhas portas se abrem
tudo respira
profundamente
e vens tu
assim suave, assim decidido
e há um breve memento
passeio por entre as órbitas
que habitam em segredo meus cômodos
quando as tuas mãos revelam
o caminho
e então fico
fico como uma brisa
passeando entre árvores
alisando as faces dos rios
bagunçando as areias, os papeis, os cabelos
e fazendo sorrir os meninos.


Jaquelyne Costa - Janefli desde nascença

Comentários

" passeio por entre as órbitas
que habitam em segredo meus cômodos
quando as tuas mãos revelam
o caminho "

muito bom ler voce.

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido