Mudei de endereço



Acordei
E dei cor ao meu recomeço
Dei ré ao passado
Das coisas que ardiam
Dava dó de lembrar e ver
Tanto nó górdio
Tantas amarras
Mudei de endereço
Vou viver de agora em diante
Morar nas horas vagas
Nos amanheceres
Nos medos superados
No sorriso de quem estiver ao meu lado
Na vontade de ser.
Acordei
E dei cor ao que o sonho alcança
Ao que me foi prometido
À voz que mora em meu coração

Desde quando semente em outro ser habitava.

Jaquelyne Costa - Janefli desde nascença

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não