A voz





A voz
Quero gritar
A voz
Silenciar
A voz
bordava amor
Em palavras
A voz
Sendo um anjo
A voz
Que me faltou
No dia em que você chorou.


Jaquelyne Costa - Janefli desde nascença

Comentários

Indira Ferreira disse…
Que lindo, me emocionou. JaqueSou, você escreve de uma forma tão leve, que suas palavras ficam em mim.
G I L B E R T O disse…
Jaque!!!

Grato pela tua visita e comentário!

tua poesia continua surpreendente e delicada, e não conheço melhores adjetivos para a poesia!

Estejas bem!
MR disse…
Muito bonito.
Sensível.
DEDICADO À UMA VOZ

Voz que encanta
Que cura
Que apazigua minh´alma
-Não permitas que te calem

Tu emanas o canto
Que silencia as sereias
E diante do espelho as faz corar.

Voz que ouço e que atendo:
És musa, deusa e talento
Inspiradora do meu ego
Defensora dos meus julgamentos

Tu és como o mel – suave e doce
Mas, enfurecida,
És firme e forte como o fel

Sem pedir entraste em meu poema
Disfarçando-te em versos.
Contida estas entre palavras
E ao subjetivar-me... te admiro!

*do livro (O ANJO E A TEMPESTADE ) de Agamenon Troyan
Marcio Alves disse…
Muito profundo. adorei.

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido