A voz





A voz
Quero gritar
A voz
Silenciar
A voz
bordava amor
Em palavras
A voz
Sendo um anjo
A voz
Que me faltou
No dia em que você chorou.


Jaquelyne Costa - Janefli desde nascença

Comentários

Indira Ferreira disse…
Que lindo, me emocionou. JaqueSou, você escreve de uma forma tão leve, que suas palavras ficam em mim.
G I L B E R T O disse…
Jaque!!!

Grato pela tua visita e comentário!

tua poesia continua surpreendente e delicada, e não conheço melhores adjetivos para a poesia!

Estejas bem!
MR disse…
Muito bonito.
Sensível.
DEDICADO À UMA VOZ

Voz que encanta
Que cura
Que apazigua minh´alma
-Não permitas que te calem

Tu emanas o canto
Que silencia as sereias
E diante do espelho as faz corar.

Voz que ouço e que atendo:
És musa, deusa e talento
Inspiradora do meu ego
Defensora dos meus julgamentos

Tu és como o mel – suave e doce
Mas, enfurecida,
És firme e forte como o fel

Sem pedir entraste em meu poema
Disfarçando-te em versos.
Contida estas entre palavras
E ao subjetivar-me... te admiro!

*do livro (O ANJO E A TEMPESTADE ) de Agamenon Troyan
Marcio Alves disse…
Muito profundo. adorei.

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não