Pelo suor derramado




Hoje estou cansada
Desse eterno combate
Queria mesmo me abandonar
Em algum terno enlace
Que envolva um pouco mais de amor
De dois corpos
De uma lua inteira sobre nossas cabeças
E um universo abaixo de nós
Sem mesurar distâncias
Enganos
Vinganças
Nem mesmo quanto pesa, ou quanto vale
E se amanhã teremos pão para comer
Eu quero você e algum afeto
Que nos faça sentirmos um:
Na unidade ser vencedor
Não pela dor
Mas pelo suor derramado
Por tanto amor.

Jaquelyne Costa - Janefli desde nascença

Comentários

Will Carvalho disse…
Seus textos, mesmo quando falam de falta, de busca ou de dor são tão doces! Me trazem um punhadinho de paz... não se esqueça de nos abastecer.

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não