Mexeram no meu texto, ah meu Deus!

(Imagem: Apod Info)

Todo jornalista que se preze já passou e (lastimavelmente) passa por esta situação desagradável: você escreve um texto, empolgado, acredita que bombou e manda para o revisor só para cumprir a rotina hierárquica. No outro dia, abre o jornal, passa direto para seu artigo lindo e maravilhoso quando não reconhece um trechinho ali, outra cá. Mexeram no meu texto, ah meu Deus! Mordido de raiva você logo sabe quem foi o culpado: O REVISOR! 
Poxa, ele não entendeu o que eu quis dizer, mas estava tão óbvio! Valhei-me São Francisco de Sales!
Não esquenta a cabeça, colega! Junta as mãozinhas aí, se concentra e repete comigo:


São Francisco de Sales - Protetor dos jornalistas e escritores


ORAÇÃO DOS REVISADOS
"Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome, escrito em caixa alta e baixa; venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, tudo bem eu modifico essa parte mas ela quer dizer exatamente a mesma coisa, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dai hoje e perdoai os nossos erros de ortografia, assim como nós perdoamos o imbecil que adora mexer no nosso texto; não nos deixei cair em tentação e livrai-nos da revisão, amém."
(Fonte da oração: Lady Day)

Comentários

Jaque,
até seu humor é refinado,
mas já passei por situações crueis - apesar de não jornalista. a professora pega seu texto rabisca, apaga e diz "aproveitar", nunca chorei por isso mas aquele ódio básico, eu confesso sentir...

um beijo grande,
e sonho você é

do homem-menino
quase de volta...

fica com Deus!
Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Universo Íntimo. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/
Denise disse…
Ai ai ai é preciso reza brava mesmo.

afagos de saudades!
Ilana disse…
ahuahauhuaha
Adorei, Jaque
Jaquelyne Costa disse…
Meu menino,
só você é meu acompanhante fiel!
Me enche de segurança!

Beijos
Jaquelyne Costa disse…
De,
é preciso ter muuuuuuuuuuuuuuuuuita paciência!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido