"A inveja é a podridão dos nossos ossos"


Uma pessoa invejosa torna-se engraçada de tão ridícula. Seu comportamento muda de figura a cada conquista do invejado, pois é até ofício ser invejado por um invejoso de primeira classe. Se o invejoso estiver em seu habitat de trabalho aí a “competição” inicia-se fervorosa por sua parte. Segundo meu compadre de todas as horas analfabetizadas, o Aurélio, inveja é desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outrem. Bem, esse é o primeiro sintoma do invejoso. Todo mundo possui um nível de inveja, mas daquela “inveja boa” que a gente sente calado e logo passa. Todavia, há dois estágios deste sentimento. O primeiro é um grau mais ameno de inveja, aquele que afeta principalmente a quem é o possuidor, deixando-lhe com um suave gosto de derrotista.

Nesse estágio a criatura fica a suspirar, depressiva e olha com fome para o outro que está feliz na santa paz de Deus. Para se identificar o invejoso do grau 1 chegue perto dele, nem precisa contar vantagem, somente deixe que ele veja você bem disposto, saber que você recebeu a nota máxima num trabalho da faculdade ou uma homenagem, ou então, que você é bem quisto entre pessoas de mesmo convívio social. Eita facada dolorida! Pronto, isso já basta para que ele lhe olhe e comece a desdenhar de seus feitos bem sucedidos. Já não conversa tanto com você e lhe encara meio travoso.

O invejoso do grau 2 atinge o outro e mais ferrenho significado do Aurélio que diz: desejo violento de possuir o bem alheio. Aqui o estado de prejuízo é maior já que o invejoso possui a famosa “inveja de matar” sobre o invejado. Os sintomas mais explícitos são: cara amarrada, lundum, passar por você e não mais falar ou fazer de conta que não lhe ouviu e dizer, quando no ar de sua graça, toda opinião sempre contrária a sua. Já reparei que o invejoso fica tão “mordido” de raiva com o sucesso do invejado que fica pública e notória sua feição deformada. Se você conhece alguém assim, cuidado! Você pode ser a próxima vítima do exterminador olho gordo.

É cômico e paripassu perigoso conviver com este tipo de criatura. É cômico porque o invejoso quer tanto ser você ou se acha tão inferior que tem medo de sua presença e chega ao ponto de ficar complexado. Por exemplo, o invejoso conversa com alguém que por coincidência é seu amigo sem que ele saiba e desata o nó a falar mal de você, diz que você é devagar no trabalho, iniciante demais, que ele vai mandar em você e lhe ensinar o ofício. Mais tarde você fica sabendo de tudo porque seu amigo, que já conhece bem o perfil do invejoso e o reconhece um frustrado na vida, vem e lhe diz tudo em altas gargalhadas!

Você para e pensa. Exclama. Acha a postura do invejoso bufônica e começa a rir dele. Coitado! Só querendo ser o invejado! Mas há o lado negro disso tudo, senão não seria considerado um dos piores sentimentos humanos. Afinal, até mesmo na Bíblia encontramos uma declaração de Salomão em Provérbios dizendo que a inveja é a podridão dos nossos ossos. Jesus em suas parábolas sempre deixa profundos ensinamentos da vida real e em uma muito conhecida, a do filho pródigo, ele mostra como o irmão mais velho se porta diante a intensa alegria do pai em receber o filho mais novo, que estava perdido. O irmão mais velho tem tanta inveja que não consegue alegrar-se em ver de volta ao lar o seu único irmão. Está aí, meu amigo, o motivo desse sentimento ser a podridão de nossa alma, pois, se tudo o que nos é concedido é razão para nosso contentamento, como não exultar também por aquilo que o outro recebe? Como ir contra um dos principais mandamentos que diz: “Amai-vos uns aos outros.”? O amor não é egoísta nem invejoso, então, quem ama não pode em hipótese alguma fazer brotar esse ácido em sua alma.

É preciso muita luz para não nos contaminarmos por esse veneno. É preciso muita persistência na fé, e crer que todo e qualquer sentimento maligno afeta antes do outro a quem o possui. Observe o invejoso, vive eternamente infeliz porque não consegue conviver com o sucesso de ninguém e ocupa-se tanto com isso que esquece de ir em busca do que de bom poderia vir a seu encontro e morre sozinho, fétido, pois é uma fruta sazonada, pronta para o lixo.



Crônica: Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

inveja é uma prima distante do carinho, talvez seja a falta do próprio, talvez em casa falta espelho...!

é um mal, é uma praga
e temos que dispor de super poderes e paciência para sobresair de tais situações...

de você não tenho inveja,
sinto "admiração" - o que é nobre e bem diferente -

fica Deus, amor meu e meu

beijos,
do seu menino-homem
Diu Mota disse…
Inveja para quem carece de amor- próprio.
Triste fim...
inté
Geórgia Alves disse…
Minha amigaaaaaaaa!!! Estou encantada com sua desenvoltura na escrita dessa crônica!!! Tenho até a sensação de que estou lendo uma coluna privilegiada de jornal..:D VERDADE!!!!
Nossa Jaque, esse texto ficou ótimo e o seu desabafo é super rico e fiel ao que vemos no dia-a-dia!
Quase certeza de que não somente este, mas muitos textos seus que leio são de uma profunda capacidade de expressão, de encontrar aquelas palavras que cabem exatamente naquele sentimento e pensamento. Admiro enormemente isso de ti!!! Parabéns mesmo, Amiga!!!
Beijo Grande
Saudades de ti!!
Geórgia
Pablo Vasconcelos disse…
JAQUE, SEM PALAVRAS! É EXATAMENTE TUDO ISSO QUE VC ESCREVEU E DESCREVEU. SENTI-ME ATÉ CONFORTÁVEL EM LER AS SUAS PALAVRAS... REALMENTE É DIFÍCIL LIDAR COM A INVEJA.. DE TODA SORTE, ELA É O SINAL DE QUE ESTAMOS INDO BEM; FAZENDO "SUCESSO"! O SEGREDO É: CRER EM DEUS ACIMA DE TODAS AS COISAS E CONFIAR QUE ELE CUIDA DE NÓS EM TODO TEMPO. A BÍBLIA DIZ QUE ENQUANTO DORMIMOS ELE TRABALHA EM NOSSO FAVOR...

ENTÃO É ISSO MINHA JAQUINHA! SOMOS ALVOS PQ NOS DESTACAMOS.... NINGUÉM ATIRA PEDRAS EM ÁRVORE QUE NÃO DÁ FRUTOS, NÃO É MESMO?

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOO BEM GRANDE!

TE AMO.


Pablo Vasconcelos

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido