"A inveja é a podridão dos nossos ossos"


Uma pessoa invejosa torna-se engraçada de tão ridícula. Seu comportamento muda de figura a cada conquista do invejado, pois é até ofício ser invejado por um invejoso de primeira classe. Se o invejoso estiver em seu habitat de trabalho aí a “competição” inicia-se fervorosa por sua parte. Segundo meu compadre de todas as horas analfabetizadas, o Aurélio, inveja é desgosto ou pesar pelo bem ou felicidade de outrem. Bem, esse é o primeiro sintoma do invejoso. Todo mundo possui um nível de inveja, mas daquela “inveja boa” que a gente sente calado e logo passa. Todavia, há dois estágios deste sentimento. O primeiro é um grau mais ameno de inveja, aquele que afeta principalmente a quem é o possuidor, deixando-lhe com um suave gosto de derrotista.

Nesse estágio a criatura fica a suspirar, depressiva e olha com fome para o outro que está feliz na santa paz de Deus. Para se identificar o invejoso do grau 1 chegue perto dele, nem precisa contar vantagem, somente deixe que ele veja você bem disposto, saber que você recebeu a nota máxima num trabalho da faculdade ou uma homenagem, ou então, que você é bem quisto entre pessoas de mesmo convívio social. Eita facada dolorida! Pronto, isso já basta para que ele lhe olhe e comece a desdenhar de seus feitos bem sucedidos. Já não conversa tanto com você e lhe encara meio travoso.

O invejoso do grau 2 atinge o outro e mais ferrenho significado do Aurélio que diz: desejo violento de possuir o bem alheio. Aqui o estado de prejuízo é maior já que o invejoso possui a famosa “inveja de matar” sobre o invejado. Os sintomas mais explícitos são: cara amarrada, lundum, passar por você e não mais falar ou fazer de conta que não lhe ouviu e dizer, quando no ar de sua graça, toda opinião sempre contrária a sua. Já reparei que o invejoso fica tão “mordido” de raiva com o sucesso do invejado que fica pública e notória sua feição deformada. Se você conhece alguém assim, cuidado! Você pode ser a próxima vítima do exterminador olho gordo.

É cômico e paripassu perigoso conviver com este tipo de criatura. É cômico porque o invejoso quer tanto ser você ou se acha tão inferior que tem medo de sua presença e chega ao ponto de ficar complexado. Por exemplo, o invejoso conversa com alguém que por coincidência é seu amigo sem que ele saiba e desata o nó a falar mal de você, diz que você é devagar no trabalho, iniciante demais, que ele vai mandar em você e lhe ensinar o ofício. Mais tarde você fica sabendo de tudo porque seu amigo, que já conhece bem o perfil do invejoso e o reconhece um frustrado na vida, vem e lhe diz tudo em altas gargalhadas!

Você para e pensa. Exclama. Acha a postura do invejoso bufônica e começa a rir dele. Coitado! Só querendo ser o invejado! Mas há o lado negro disso tudo, senão não seria considerado um dos piores sentimentos humanos. Afinal, até mesmo na Bíblia encontramos uma declaração de Salomão em Provérbios dizendo que a inveja é a podridão dos nossos ossos. Jesus em suas parábolas sempre deixa profundos ensinamentos da vida real e em uma muito conhecida, a do filho pródigo, ele mostra como o irmão mais velho se porta diante a intensa alegria do pai em receber o filho mais novo, que estava perdido. O irmão mais velho tem tanta inveja que não consegue alegrar-se em ver de volta ao lar o seu único irmão. Está aí, meu amigo, o motivo desse sentimento ser a podridão de nossa alma, pois, se tudo o que nos é concedido é razão para nosso contentamento, como não exultar também por aquilo que o outro recebe? Como ir contra um dos principais mandamentos que diz: “Amai-vos uns aos outros.”? O amor não é egoísta nem invejoso, então, quem ama não pode em hipótese alguma fazer brotar esse ácido em sua alma.

É preciso muita luz para não nos contaminarmos por esse veneno. É preciso muita persistência na fé, e crer que todo e qualquer sentimento maligno afeta antes do outro a quem o possui. Observe o invejoso, vive eternamente infeliz porque não consegue conviver com o sucesso de ninguém e ocupa-se tanto com isso que esquece de ir em busca do que de bom poderia vir a seu encontro e morre sozinho, fétido, pois é uma fruta sazonada, pronta para o lixo.



Crônica: Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

inveja é uma prima distante do carinho, talvez seja a falta do próprio, talvez em casa falta espelho...!

é um mal, é uma praga
e temos que dispor de super poderes e paciência para sobresair de tais situações...

de você não tenho inveja,
sinto "admiração" - o que é nobre e bem diferente -

fica Deus, amor meu e meu

beijos,
do seu menino-homem
Diu Mota disse…
Inveja para quem carece de amor- próprio.
Triste fim...
inté
Geórgia Alves disse…
Minha amigaaaaaaaa!!! Estou encantada com sua desenvoltura na escrita dessa crônica!!! Tenho até a sensação de que estou lendo uma coluna privilegiada de jornal..:D VERDADE!!!!
Nossa Jaque, esse texto ficou ótimo e o seu desabafo é super rico e fiel ao que vemos no dia-a-dia!
Quase certeza de que não somente este, mas muitos textos seus que leio são de uma profunda capacidade de expressão, de encontrar aquelas palavras que cabem exatamente naquele sentimento e pensamento. Admiro enormemente isso de ti!!! Parabéns mesmo, Amiga!!!
Beijo Grande
Saudades de ti!!
Geórgia
Pablo Vasconcelos disse…
JAQUE, SEM PALAVRAS! É EXATAMENTE TUDO ISSO QUE VC ESCREVEU E DESCREVEU. SENTI-ME ATÉ CONFORTÁVEL EM LER AS SUAS PALAVRAS... REALMENTE É DIFÍCIL LIDAR COM A INVEJA.. DE TODA SORTE, ELA É O SINAL DE QUE ESTAMOS INDO BEM; FAZENDO "SUCESSO"! O SEGREDO É: CRER EM DEUS ACIMA DE TODAS AS COISAS E CONFIAR QUE ELE CUIDA DE NÓS EM TODO TEMPO. A BÍBLIA DIZ QUE ENQUANTO DORMIMOS ELE TRABALHA EM NOSSO FAVOR...

ENTÃO É ISSO MINHA JAQUINHA! SOMOS ALVOS PQ NOS DESTACAMOS.... NINGUÉM ATIRA PEDRAS EM ÁRVORE QUE NÃO DÁ FRUTOS, NÃO É MESMO?

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOO BEM GRANDE!

TE AMO.


Pablo Vasconcelos

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não