Claro Enigma II


À meia noite
me despeço dos sonhos
e calço minhas havaianas.

Foto e texto: Janeflí desde nascença

Comentários

Anônimo disse…
Hum... gostei das mudanças!!!
Ficou bonito, só não achei seus textos... =)
beijooo
Keidy!
Anônimo disse…
Hum... gostei das mudanças!!!
Ficou bonito, só não achei seus textos... =)
beijooo
Keidy!
Paulo Roberto! disse…
Oi Jaque, como vai?
Sua casa ta linda, tem uns dias que não apareço.

É que eu to meio sem tempo.

Mas você continua espirituosa como sempre.

Também deu uma sumida da minha casa hein.

Mas bons amigos nunca deixam de sê-lo.

Beijos pra ti.

Saudades.
Mateus Araujo disse…
Nossa mew... tinha te abandonado totaL!!!

Fazia mil anos q não vinha aqui
desculpãooo =x

Eu vi q seu TCC foi um sucessso!!
E tem fotos novas aqui no blog super lindas!
E textos mais lindos ainda!

Parabéénsssss,
Alias eu amo a apresentação do blog com essa frase q vc põe
Jaque sou, o jeito é ser!
<3

Bjásso <3
Mateus Araujo disse…
Aliás, jaque... o que é Janeflí?
Começou mais uma votação
para a Copa Blog, é a semi- final, agora não será por
voto e sim por comentário, cada comentário valerá um
voto e podem comentar à vontade.
Conto com vcs para chegar à final.
Essa votação vai até o dia 22 agora.
anamgs.blogspot.com

Esse é o link da Copa Blog:

http://dado.pag.zip.net/

O link está acessível no post atual do meu blog, por lá entra direto, obrigada.

beijooo.
Meu caro Teus,
não o que é e sim quem é Janeflí, seria assim a sua inquietação!!!!rsrsrs...
Bem, Janeflí é a JaqueSou!!

Beijossss
Jaque,

depois da meia-noite
todos nós mortais viramos abóbora...

... e vc continua linda, pode?

^^
Pequeno texto impactante.

Bj
G I L B E R T O disse…
Jaque

Depois da meia noite, abandonamos os sonhos e colocamos as havaianas...

...e eu me mudo para a Dreamland!

Teu texto é criativo e provocador!

gosto disso no escritor, na escritora!

quem escreve tem de provocar!

Abraços, jaque, grato pela tua visita em nel mezzo del cammim!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido