The Janeflí’s clock

Voltem para Casa
Flores da primavera
Amores de maio
Ardores de abril
Repousem as fadas

Com suas asas aladas
Porque os mistérios
Estão todos por aqui.
They come back in the time
E avivam as cores
Daqueles sonhos dobrados
Na antiga gaveta
De uma velha moça
Que um dia acreditou
Não serem ilusão.

Come back to home
Flores da primavera
Amores de maio
Ardores de abril
E calcem minhas cansadas pestanas
De ternura e lembrança
Dos dias em que mais viva eu vivi
all the time
everything of me.

Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Léo Metallica disse…
Fala como se fosse a Senhora do Tempo que viu, vê e ainda verá de tudo.

Eu sei que este é mais um daqueles momentos em que o escrito não reflete o escritor.

Licença poética né?

Oh... tava vendo o Top Comentarístas do teu blog. Caramba... O meu perfil antigo... Aquele que foi roubado, Figura ainda em 4º Lugar. E o novo já está em 14º e subindo. rsrs...

Direto do Rio.
Beijos.
Licença poética e também experiência, por que não?!

Leo, as coisas são muito sentidas por Janeflí...
Ela existe...


Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido