Dueto ao amanhecer


a ti sempre cortez
já tentei te deixar humana
só que sonhos tem azul do céu
e me entrego as cores
flores sândalo
vivo por ti
encanto
bailarina cansa
por isso amor
te dou asas...

Te recebo as asas
e planto as nuvens em teu quintal
o amor, como um anjo,
repousa brando, branco...
e não sei o que é viver
sem a fala dos teus olhos
sem a seda da pele tua
que por favor
nunca nua...
e que dizer
de mim sem ti?
Tuas mãos
Que já tentei esquecer as linhas
Não me deixam ser tecida
Apenas,
Sou inteira enriquecida
Linhas tuas, alma minha,
Tua curva cura meu desejo
Teu desejo: seda pura
Serei tua
Como queiras.
imagino toque
que não desmanche
beijo sob o sol
para não perceber
de mim calor...
e somos arrebol
sob a luz da lua
e nos banhamos
tu sendo meu
eu sendo tua
e amanhecemos
como um somente
só sei te ser
sendo bailarina
e rodopio
um arrepio
no lábios teus.


Jaquelyne de Almeida Costa
Abraão Vitoriano de Sousa
*Poema feito em companhia de Meu menino, meu amor.

Comentários

Chris... ჱܓ disse…
Lindo poema!
Vocês juntos fazem shows de palavras...
Parabéns!
Já vi o post no blog do menino-Homem... Perfeito!

Bjos de luz e paz!
Vivian Sbrussi disse…
Oiii!!!
passando para dar um oizinho,
ver as novis,
deixar um beijinho e
desejar um ótimo domingão!

bjooo =D
Ellen Fernandes disse…
Belo "..sendo bailarina
e rodopio
um arrepio
no lábios teus"

Lindo desfecho
Nade disse…
Jaque, querida, adorei!!!
Lindo, lindo!!!
Que entrosamento, heim...
Bjs
HSLO disse…
Essa união com o Abraão é show...parabéns!

abraços


Hugo
HSLO disse…
Essa união com o Abraão é show...parabéns!

abraços


Hugo
Anônimo disse…
Adorei o teu blog! Virei mais vezes por aqui... Bjs

mepermita.blogspot.com
leo disse…
Lindo poema!
Parabéns, um dueto perfeito!
MR disse…
Bom dia Jaque.
Um bonito poema para enfeitar ainda mais o dia.
Aqui curto o feriado de muito sol, muita serenidade e paz, agradecendo a Deus por todas as bençãos e abundância, e ao meu querido Buddha pela humildade e compaixão que ele me ensina.
PS: Visite e veja fotos do meu espaço de gratidão, na minha casa.
Léo Metallica disse…
Aê... Bacana...

Até pareceu que enquanto um versava uma frase o outro complementava.

Muito bacana.

Direto do Rio.
Beijos.
Jonas disse…
bravoooooooooo

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido