STF = Sem Ter o que Fazer. Diploma Já!


Por Jaquelyne de Almeida Costa.

Eu me recuso a aceitar a decisão do Supremo Tribunal Federal. Onde está o nosso direito de termos nossa profissão respeitada e dignificada com a obrigatoriedade do diploma? Passaremos, então, quatro anos e meio para adquirir um diploma que não é reconhecido? Não aceito isso! Sei que quem é a favor do diploma pensa logo assim “Para ser Médico é necessário o diploma, senão o Conselho Regional de Medicina não aceita porque não é ético para com a sociedade!”; “Para ser Juiz de Direito é necessário que ele tenha consigo o diploma, sem ele nada pode decidir, nem mesmo chegar a ser advogado.” Pois se para ser também construtor de casas e apartamentos e prédios e outras estruturas é preciso ser diplomado em Arquitetura ou Engenharia Civil, enfim, para outras profissões não é aceito exercê-las sem ser academicamente comprovado e aprovado. Por que diabos então que a profissão de Jornalista não merece esse direito?

Quando o presidente da Corte e relator do RE, ministro Gilmar Mendes disse: “O jornalismo é a própria manifestação e difusão do pensamento e da informação de forma contínua, profissional e remunerada” penso que ele se esquece do fato de que “expressar opinião e informação” é algo que deve ser realizado com ética e responsabilidade. Muitos “jornalistas” que não são Jornalistas Diplomados não tem o cuidado em manifestar suas “opiniões” que acabam produzindo a maior histeria, o shownalismo pelo qual tanto somos bombardeados todos os dias. Na academia somos alertados contra esses desvios de conduta, aprendemos as técnicas e a prática. Não saímos alienados não!

O ministro ainda corrobora citando vários nomes que foram escritores e jornalistas sem diploma. Certo. Isso aconteceu quando mesmo? Ah, no tempo de Machado de Assis, José de Alencar, Álvares de Azevedo, Euclides da Cunha!!!! Se não me engano muitos dos escritores dessa época estudaram Direito e não Jornalismo, mas salvo o engano, novamente, não lembro de ter uma escola de Comunicação para que eles pudessem ser diplomados em Jornalismo. Data de 1947 a primeira Escola de Comunicação do Brasil, a Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, fundada em São Paulo. Atualmente, existem cerca de 470 escolas de Jornalismo pelo país. Não há mais porque desempenhar Jornalismo sem diploma, estamos no século XXI e não no XIX!

Sinto muito, senhor Ministro! Esses seus argumentos já estão falidos! E estou tão indignada que as palavras me faltam. Como outrora Alberto Dines falou: "A sociedade que aceita qualquer jornalismo não merece jornalismo melhor”. Quando se permite uma pessoa sem formação fazer o que cabe ao profissional é de se esperar que ali haja problemas. Espero que a sociedade não acolha essa decisão do Supremo com passividade! Almejo que um dia desses, um dia próximo, um clarão acometa o ministro para que ele enxergue o disparate que cometeu ontem! Nós, estudantes, jornalistas e a sociedade, merecemos o devido respeito. Nós que estudamos como os que um dia prestaram vestibular para Direito, Medicina, Arquitetura, Engenharia e suas especificidades, Sociologia, Pedagogia, e tantas outras profissões que existem no mundo. Eu acredito que há de surgir uma solução para este contra-senso...

E se o problema ainda é acrescentado por esta afirmação: “a formação específica em cursos de jornalismo não é meio idôneo para evitar eventuais riscos à coletividade ou danos a terceiros” digo que caráter é uma constituição de nossa personalidade que nos faz agir eticamente desde que tenhamos em mente o que é justo e responsável para ser realizado, mas se a pessoa não tem compromisso com a sua consciência, nem respeita os limites éticos e morais que estabelecem uma sociedade, então o exercício de sua profissão também não se fará confiável. Curso superior não compete a distribuir caráter, e sim a promover a sabedoria da Scientia do mundo.

Comentários

Ex-critor disse…
Jaque,
sua indignação é justissíma. Eu praticamente encerrei minha carreira de jornalista, depois de quase 35 anos de estrada (com diploma!), mas vocês que estão começando agora terão um grande problema pela frente.

O que vai ocorrer agora é um preconceito contra o jornalista diplomado. Vão trabalhar nos jornais os amigos dos donos dos jornais, os amigos dos amigos. Com isso a qualidade que hoje já é sofrível, descerá inúmeros degraus rumo ao esgoto.

Vocês meus amigos jovens vão sofrer muito mais a partir de agora. Se preparem, sejam fortes e procurem não desanimar. Mas, na minha opinião, assistimos hoje a Justiça brasileira jogar uma pá de cal em cima de nossa profissão. Se fala em liberdade de imprensa, mas o que está em jogo é a liberdade de empresa.

Comprem luvas e máscaras para ler os jornais porque a partir de agora não existirão jornalistas regidos pelo código de ética da categoria, mas seguidores dos patrões. E, em 2010 teremos eleições. Se segurem porque vem aí chumbo grosso.... Triste requiem para nossa profissão....
Ilana disse…
Lamentável...

Folha "A decisão do Supremo também foi criticada pela Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) e pela ABI (Associação Brasileira de Imprensa), mas elogiada pela Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV) e pela ANJ (Associação Nacional de Jornais).

Segundo Ricardo Pedreira, diretor-executivo da ANJ, o que o Supremo fez foi tomar uma decisão de acordo com a Constituição de 1988 que, para ele, é muito clara na defesa da total liberdade de expressão".

Liberdade uma merda. Alguem tem dúvidas do futuro do jornalismo? É como o Luiz disse ai em cima.. vamos sofrer com o puxa-saquismo e apadrinhamento. Aqui na região já vemos isso.. uma realidade bastante sólida que só tem a piorar.
Menino-Homem disse…
assino em baixo.

você me orgulha muito.

beijos-luz!
Diu Mota disse…
Chamei isso no meu post de " furo jornalístico". Sim, humor negro. A última do ministro Gilmar Mendes foi comparar a notícia com comida. Dá uma passada e ...lamente. http://diums.blogspot.com
abraço!
MEUS PENSAMENTOS disse…
oi amiga acabei de comentar em um blog com o mesmo assunto passa la
http://mariajosesa.blogspot.com/,blogsem censura,é da minha madrinha de blog ela é jornalista vc vai gostar de conhece-la bjs
ah! esqueci assino em baixo bjs!
Clayton Ângelo disse…
Oi Jaque, tudo bem?! Andei sumido por uns tempos mas, estou de volta!Lhe agradeço pela visita e pelas palavras. Olha, concordo plenamente com você. É um absurdo o que vem acontecendo. Se já não bastasse o sucateamento do ensino em todos os níveis, agora resolvem também interferir de uma maneria arbitrária e insensata no mérito e reconhecimento de uma área tão louvável, quanto a do jornalismo. Receio que isso possa ser extendido a outras áreas. Essas reformas intituladas como democratização do ensino me preocupam, pois elas caminham na contra-mão de uma realidade de mercado que é cada vez mais exigente, abrindo espaço para uma desvalorização e também comprometendo a qualidade do serviço prestada por esses profissionais. Vamos torcer e lutar para que isso se revisto. Bjs.
Léo disse…
“O jornalismo é a própria manifestação e difusão do pensamento e da informação de forma contínua, profissional e remunerada”

Remunerada??? Mais que absurdo esse cara falou... Quer dizer que jornalista bom trabalha de graça.

Diploma sim... é uma profissão de respeito e mais que isso... Ela é uma profissão que PODE revolucionar com cultura e saber. Acho que isso não é aceitável para eles. Querem é que o povo continue cada vez mais burro para aceitar que Político bom é político que ganha 15 mil reais, fora as despesas sobressalentes, verba para administração de cargo, passagens aéreas, terno e etc... que acumulam aos 80 mil, e esses putos nem trabalham na segunda. NÃO TRABALHAM NA SEGUNDA.

Eles mesmos, votaram entre eles que político não trabalha na segunda.
Eles votam o aumento de seus salários também. Enquanto que o proletário briga por um aumento de 8% ao ano, eles tem aumento de 25, 30, 40%.

"O POVO NÃO TEM PARTICIPAÇÃO NENHUMA NISSO."

Desabafei também.

Direto do Rio.
Abraços moça.
Nilson Barcelli disse…
Cara amiga, parece-me que vc está cheia de razão.
Não faço ideia como é em Portugal, mas o que sei é que só cerca de 10% dos que concluem o curso de "Comunicação social" é que conseguem emprego na área do jornalismo. Os outros estão desempregados ou a trabalhar noutras áreas...
Um bom resto de semana para vc.
Beijo.
Caso façam um abaixo-assinado contem comigo!Concordo com toda a sua indignação!!!

Um beijo!!!Sonia Regina.
Luis, Abraão, Diu, Márcia, Clayton, Léo, Nilson e Sonia Regina:


Muito obrigada pelo apoio de vocês!!!
Vocês não imaginam o quanto suas palavras são confortantes para mim!

Muito emocionada agradeço desde já todo o apoio!


Um grande beijo para todos!
Que minha profissão seja mais respeitada!
Dela não desistirei, Nanja!


Beijos e abraços apertados de cumplicidade!
Ah, também meus sinceros agradecimentos a colega Ilana!!


Obrigada, querida!!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não