Ao caçador de moças

O remorso de Orestes - William-Adolphe Bouguereau
Da tua pistola de horror
Provocas o destino halali
Nos corações arrebatados
Que desesperados correm
Ao encontro do futuro trágico
Fado triste baleado
Das paixões mal resolvidas.

Olhas frio para a carne abatida
Morbo fiasco de vida és tu
És todo pura carnificina
Aparentas aromático viver,
Fétido mancebo!

À noite ouves as vozes
Daquelas pobres moças aflitas
Que voam sob teu teto
Como grandes moças-harpias.


Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Nade disse…
Que poema, heim!
Bela escolha para alegrar o nosso dia!
Bjs, linda!
Nade disse…
Que poema, heim!
Bela escolha para alegrar o nosso dia!
Bjs, linda!
Jean disse…
Mitologia...bela escolha..mas bem deves saber que o destino havia determinado a Orestes fazer o que fez nao é (matar a mãe)? Tanto que ele terminou redimido no final, por um voto de minerva.

gostei muito jaqueline, perceber que alguem ainda se liga em fazer poesia pautada nos mitos clássicos. Parabéns!
O Profeta disse…
As madrugadas na Ilha
São feitas de morna calmaria
A brisa dança no silêncio
Os pássaros dormem em harmonia

Uma valsa de bonança
O rodopio das águas de um ribeiro
As hortênsias pintam a terra de azul
Um sino solta o seu tocar primeiro



Boa Páscoa


Mágico beijo
Liginha Gabriela disse…
Adorei o post Jaque, poema forte!!
como sempre de Parabéns!!

bom feriado pla ti

bjoos

;*
Janaina Brum disse…
Nossa, Jaque, que clássico!!
Bjs, amada, bom feriadão!
Diego disse…
Belo poema,boa referência, e realmente achei o máximo a pintura =)
Já que és essa poetisa tão sublime, possso assegurar o imenso orgulho por tê-la como amiga!! És uma mestra na arte do verso delicado, expressão de uma alma tão singular!
Parabéns, adorei o teu canto poético! E que ele continue a ecoar no infinito eternamente...
Nade, gracias!!
Um grande beijo=*
Jean, Mitologia grega sempre me impressiona, mas esse meu poema não foi inspirado nela, apenas me utilizei deste quadro que retrata Orestes em remorso.

Um grande abraço!
E muito obrigada,Jean!
Na próxima farei um inspirado nele, ok?

=*
Profeta,
tu me chamaste...
Tua voz
eterno sino tocando em meu coração...

Beijos=*
Liginha, obrigada, menina!
Volte sempre!
Feliz Páscoa!

Beijos=*
Valeu, Jana!
Feliz Pascoa!!
=*
Diego, muitíssimo obrigada!!
Apareça sempre!!
Beijos=*
Tito, meu amado amigo Tito!
Que surpresa vê-lo aqui!!
Muitíssimo obrigada pelas palavras belíssimas que me deixastes!
Não mereço tudo isto mas guardarei com muito carinho!

Beijos=*
Juci disse…
num sei, mas este poema tem um 'Q' de violencia em suas palavras, além de um pouco de incoformação.. forte como sempre.. bjsss
Tem mesmo, Ju.
Essa violência era necessária para expôr toda a verdade que havia para ser dita.


Obrigada,amiga!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não