Atirador de facas


Aquele que se faz malabarista com os corações alheios achará quem se faça de atirador de facas, aí então, saberá a dor de ter um coração ferido, de servir como alvo humano para aquilo que é desumano.






Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Joéliton disse…
Oi...gostei do post..bem legal

Um bom começo de semana

Bj
Miguel Schweiz disse…
Jaque, yo no sé escribir bien el portugués, pero como siempre sucede lo puede leer mejor. Como voy más lento, no he podido leer todo el blog evidentemente. Pero de lo que he hecho, tienes unos artículos fantásticos, con un punto de vista para mí especial porque viene del otro lado del Atlántico y las poesías… son de una enorme belleza, para ellas no hay ninguna barrera ni la más mínima porque se ligan de corazón a corazón.
Besos
Olá, Joéliton!!!
Muito bom ver você por aqui no Jaque Sou!
Volte!Volte mais vezes!!
Muito obrigada!!Uma ótima semana!

Abraços!
Miguel!Yo estoy contenta con tu aparicción!!
Consigo leer tus escritos con el corazón!
¡Sus palabras están de belleza extrema e yo, aquí del otro lado del océano, estuvo maravillada con ellas! ¡Deseo mucho de aprender al Español para hablar con usted! Besos y abraços, su amiga Jaquelyne.
Giuseppe Menezes disse…
Jaque, desculpe estar sumido. Está um problema conseguir um computador para lê-la
Gepp!
Está desculpado!
Mas eu sinto muito a sua falta....

Beijos=**
Juci disse…
Relamente. Verdades e Verdades que consegues perceber amiga..
As vezes algumas (poucas) pessoas são tão inocente que seu coração fica a merce de "tiro ao aolvo", e isso ñ é nada bom por dois motivos, por ficarmos expostos demais aos outros, e por ñ podermos mais confiar o suficiente e nos permitir ser inocente. Q mudanças!!

bjos miga
Amiga, obrigada!
Sei o quanto você me entende.
Você viveu também parte de minha vida e sabe do que estou falando...
Mas ainda bem que temos Deus para nos manter firmes e fortes|!!
Vivamos!!!

Beijos, amiga!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não