Lua Azul de Maio




E veio novamente ela


Coberta dum transparente manto


De seda azul.


Veio em sua completude


Banhar os olhos meus.



Maio, que mil descoberta renova,


Acorda os noturnos soturnos


Manda-os às janelas


E diga-os em voz-ventania:


A lua azul chegou.Despertem-se os amores azuis!



As praças cinzentas


Os telhados vermelhos


As casas brancas amarelas laranjas


As árvores verdes


Todos


Tudo


tudo se deixou vestir da alma


Da cheia lua azul de Maio.



Aro azul de puro ouro celeste


Anelas os corações apaixonados


Que nesta linda e sempiterna noite de Maio


Darão infindo testemunho de que viestes


Tão cheia tão lua tão nua azul de Maio.








Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

meus pensamentos disse…
tem presentinho pra vc no blog bjs!
Meg Macedo disse…
ei tem uma algo especial para vc no meu blog.. hehe..

Beijos!!!
Paulo Roberto! disse…
Tem pra ti, na minha página, um presentinho, indicado, "Troféu do amigo" e um desafio que espero
que aceites,

"Desafio Aleatório"

Passe por lá pra dar uma olhada,
abraços!
muito fofo se poema...
LINDO!!!!!
Jaquelyne disse…
Márcia, amiga!!Muito obrigada pelo carinho!!
Um grande beijo=**
Jaquelyne disse…
Meg, passarei!!
Muito obrigada, desde já!!

Beijos=**
Jaquelyne disse…
Jacky!!!
Obrigada, querida!!!
Um grande beijo=*
Jaquelyne disse…
"Tomo um banho de lua..."

Beijos, Gepp!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido