Godiva


Tu me impelistes
porque te pedi o justo
mas se eu prometi
agora mesmo cumpro:
Minha nudez não é necessária
às tuas chantagens
mas pelo que luto.




Jaquelyne A. Costa

Comentários

gosto muito de voltar aqui, gosto dos posts, das fotos, de voce.
É bom voltar aqui.
Lady Godiva, belo post.
Maurizio
Jaquelyne disse…
Maurizio, que bom vê-lo aqui!
E volte sempre... volte...
Muito obrigada pelo elogio!

Beijos=*
Fábio disse…
olá... valeu pela vista no meu blog viu?
seu blog ta lindo! bjo0!

( quando quiser volte ao meu blog, sempre ta atualizado!)
bjo0o0!
Liah in Casulo disse…
...E se deixar desnudar por tão belas palavras e imagens!!

Celebro-te!!

beijinhos.
Marcos Miorinni disse…
Olá Jaquelyne,
prazer em conhecê-la.

A vida não demora,
mas dela em coragem
urgente faz a trilha,
que o afinco incendeia.

Parabéns por sua página
e por seus escritos.

abraço das letras
Marcos Miorinni
Jaquelyne disse…
Certo, Fábio!!
Obrigada pela sua visita ao Jaque Sou!

Abraços
Jaquelyne disse…
Liah, que agradável presença tu me trouxeste!!
Visitarei teu casulo!!!

Beijos=*
Jaquelyne disse…
Marcos, muitíssimo obrigada por tua letrada visita ao Jaque Sou!

Que tu me venhas como pássaro na janela!

Abraços!
ohomempássaro disse…
Perder-se um pouco nas trocas.......
Jaquelyne disse…
Perder-se mas ao mesmo átimo ganhar. Vencer a injustiça mesmo que isso possa constranger...
Jaquelyne disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
E ouço a voz da guerreira que há em ti. A empunhar a espada - ainda que, conservando a delicadeza feminina)- tão forte e tão altiva!

Tens dito!
E ouço a voz da guerreira que há em ti. A empunhar a espada - ainda que, conservando a delicadeza feminina)- tão forte e tão altiva!

Tens dito!
Jaquelyne disse…
Nossa, Emily, me senti uma heroína sem perder a ternura, sem deixar a feminilidade de lado. Gostaria muito de ser esta mulher guerreira...`
É lindo lutar por causas justas...

Beijos, minha querida!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não