Meu céu é sempre muito azul


“Ma il cielo é sempre píu blu...”
(Rino Gaetano)


Esse azul é sempre
O que me consola
Passa a noite
Acorda o dia
E o azul de minha alegria.
Eu cavalgava sem medo
Esperava me trazerem as flores
Antes que o céu azul fosse embora.
Me deitava encantada
A sombra da lua
Na minha sacada
Uma noite estrelada
Bordava de manhã
-ainda
O meu lençol azul
Estendido sobre a Terra.
Eu enfrentava a tristeza
Enquanto um menino
No outro lado da rua
Me sorria
E eu dizia
Meu céu é sempre muito azul
Mesmo nos dias
De minha mais rara alegria.
É esse o azul da vida
Que me contagia
Vou surgindo como o céu
Ora calmo e claro dia
Ora tormentosa e escura noite
Numa eterna inconstância
Sofrida,
Mas mesmo na mais perigosa
Das noites
O meu céu é sempre muito azul.




Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Esterança disse…
Jaque, querida!!

Como não gostar dos seus versos...
já mergulhei nesse lindo céu azul, dando mil saltos de alegria,
sou incentivadora de quem em coragem de se expor,
escrever o que vai na alma,
e vc já o faz com maestria,
continue...


beijos,
Jaque,

Teu céu é e sempre será azul. Ao ler teu poema, o modo como vc o compôs produziu em minha mente algumas imagens e lá estava vc na sacada a contemplar o céu azul que sempre te acompanha.

Seu poema traz paz, como "tu".
Bjos.
Jaquelyne disse…
Obrigada, Ester!
Assim fico ainda mais feliz como o céu azul que tanto amo!
Bom saber que gostastes de meus versinhos!!!

Beijos, e não me abandones!!
Jaquelyne disse…
Emily!!!Muito obrigada por estar aqui e me fazer viver esse momento lindo!!!Você viu tudo mesmo!!Lá estou eu agora na sacada a contemplar e levar comigo esse céu sempre muito azul!!

Beijos=**
Dri disse…
Simplesmente lindo. Meu céu também é sempre azul (por que mais que o da cidade onde vivo seja um sem fim de tons em cinza). Bom fim de semana.
Jaquelyne disse…
Muito obrigada, Dri!!!
olte sempre que puder, meu céu se faz azul para que pássaros nele possam voar livremente, docemente...

Beijos!!
Um ótimo fim de semana pra ti!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido