Janeflí procura Apolo


Não agüento mais esta tortura

De mim te escondes ou

Não me procuras?

Não. Bem sei que tu não és egoísta

Não negas teu amor a ninguém.

Venceste o mal quando derrotaste Píton

Mostraste que a força que carregas é vinda daquele que te deu a vida.

Estáis em tantos sóis

Em todas as águas do mar.

Deste-me a luz, a tua luz,

Para que eu pudesse ser...

Tu, que és o filho amado de Zeus,

Ó, tu, que és a razão de meu amor mais puro e claro,

Tu que és a verdade mais digna dos homens

E me profetisas em teu destino:

Venhas me buscar

Há muito estou perdida neste labirinto

Tenho medo da escuridão

Porque ela me traz súcubos e sonhos ruins.

Fere com tua flecha

Aqueles que me fazem o mal

Amansa o coração daqueles que querem me arrebatar,

Ó belo pastor, traz-me a cura para esta saudade de amor que me sinto

Tão agudamente...

Serei tua pitonisa

Farei de teu templo uma canção sem fim

Onde as liras descansarão as almas dos poetas e dos aflitos!

Venhas, não tardes!

Ó Sol que me acolhe,

Ó luz que me vivifica!

Anélito é o meu desejo em te ser inteira

Em te servir com pureza e perfeição,

Pois tu és assim: tens um frescor na face

E a candura em teu peito.

Apolo, meu amado dulcíssimo,

Não tardes em meu socorro,

Estou a clamar por tua luz, por teu amor.

Eu, Janeflí, ofereço-me para ser tua criatura somente,

Para ter ser fiel companheira e amante,

A amiga que desejas, enfim.

Não te deixarei,

Não negarei o teu sentimento,

Não me importarei se te gabas em ser o melhor arqueiro

Que esse mundo já viu!

Serei a flor mais benigna de tua vida:

Chamam-me Janeflí, aquela que herdou de Neféli

A leveza de caminhar por sobre as nuvens e abrir caminhos pelo vento,

O vento que é meu amigo

E te levará esta mensagem

Que agora eu digo

Em voz chorosa e esperançosa

De ter-te aqui comigo,

porque será nosso aliado, o destino.



Jaquelyne de Almeida Costa


Comentários

Esterança disse…
Querida Jaque,

Que coisa linda esse poema,
todo envolvido em lirismo, em
meandros que só o amor justifica,

que os bons ventos lhe traga o
teu redentor!!

És linda!


bjs!
Jaquelyne disse…
Ah, Esther, tu que és linda e escreves coisas mui belas!!
Que os anjos digam Amém ao que dissestes!!
Que o vento possa me dar este amor que preciso...

Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido