Avis rara


Anoiteceu

E tu não quiseste saber de mim.

Anoiteceu

E nem quisestes saber meu fim.

E a dor aumenta a cada lembrança

Não sei mais viver só de esperança.

Esperei até cair num sono profundo

E a certeza de que estavas pelo mundo

Nesse teu inalcançável universo

Atirou-me ainda mais no abismo.

Nessa saudade que me sinto

Perco totalmente o equilíbrio

E decido o destino duma vida inteira

Em pedaços.

Estou repartida de mins

Desapareço como fogo na lareira

És de mim o reverso

Um anjo triste e esquecido,

Sempre tão calado e tímido

Acostumado a viver sozinho.

Tuas lágrimas não enxugam as minhas

Tua dor não alivia a minha

Tua solidão não é maior que a minha

E mesmo assim insistes

Em te mostrar mais fraco.

Percebo, tristemente, que nossos caminhos

Estão cada vez mais distintos.

Tenho que reaprender a andar

Numa estrada apertada

Repleta de abismos, setas erradas

E curvas extremamente fechadas.

Tenho que ter força e dizer adeus.



Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Dri disse…
Ah, achei terrível, não assisti Maysa, acordo cedo demais :( Bom fim de semana! bjo
Jaquelyne disse…
Ah, que pena!Foi uma ótima minissérie!!Mas quando sair o dvd não perca!!
Beijos=*
Giuseppe Menezes disse…
Que triste este poema. Nunca é bom dizer adeus!
Jaquelyne disse…
É mesmo, Gepp. Adeus é psicopompo,e machuca. Mas a gente aprende, a gente sofre e aprende.
Eu aprendi.
Gostaria de não vivê-lo novamente.
Eu quero um amor profundo e eterno como Maysa queria mas não soube segurá-lo, tee a oportunidade única do verdadeiro amor mas não soube lha amar!
Eu quero fazer diferente!
Eu quero ser feliz!
Eu quero ter um amor de verdade!
anoiteceu e um manto escuro abraça a todos, mas estrelas distantes brilham no céu. Luz e sombras fazem parte como componentes fundamentais do teatro da vida. Nesta peça, dizer adeus pode ser dolorido, mas, as vezes, necessário. quando o dia nasce, as vezes a gente anoitece; quando escurece, estamos apenas começando a clarear.
como cantava o noel rosa:

Adeus! Adeus! Adeus!
Palavra que faz chorar
Adeus! Adeus! Adeus!
Não há quem possa suportar
Adeus é bem triste, que não se resiste
Ninguém jamais com adeus, pode viver em paz

abraços,
Menino-Homem disse…
uma velocidade que quase morro pra acompanhar... estou cansado! estou em pedaços! Moça me ajuda a continuar...
Jaquelyne disse…
Nossa, José!
Que belo comentário, ainda mais colocando esse trecho da música de Noel Rosa, que amo de paixão!
Lindo, lindo,lindo!!
Muito obrigada!!
Beijos=**
Jaquelyne disse…
Abraão,eu também quando o escrevi estava quase morta, mas consegui me reerguer!!Estou via!Estou feliz!
Amigo, muito obrigada por sentir tanto assim meus poemas!Você nem imagina como fico feliz em saber que escrevo algo que as pessoas possam sentir tanto quanto eu!
Beijos, meu querido!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não