Infância noturna

Para minha mãe, enquanto dormia.


E aos poucos
Bem de leve
Fecham-se aquelas cortinas escuras.
Branca,
Pura criança dorme.
Não tenha medo,
Minha querida,
Não tema o profundo abismo do sono.
Eu estou aqui,
Eu estou bem ao seu lado
Zelando-lhe o sono curto
Da infância noturna.


Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Oi oi Jaque!
Muito obrigada!!!
É tão gostoso conhecer pessoas que têm o mesmo objetivo!!
Espero que consigamos nos comunicar!!
HAHAHAHAHA

Um beijo GRANDE!!!
Jaquelyne disse…
Sim sim!!!
Com certeza conseguiremos!!
Basta você dar seu grito daí que eu atendo de cá!!

Uma enorme beijoca!!

"Quem não se comunica se trumbica!"
hahahaha.. certinho!!!
Posso te perguntar uma coisa??
Não sei se você chegou a ver, mas sou mega recente nessa história de blogs! hahaha...
Gostaria de saber como mudar o fundo?
Por que só vejo esses fundos aqui do blogger, mas nenhum na verdade tem a ver com o meu conteúdo!! hahahah..
Desculpa esse pedido de socorro!
beijoosss
Jaquelyne disse…
Você pode perguntar quantas coisas quiser!!Hahaha...
Veja só, eu tento mexer nas coisas por aqui, também não entendo muito disso não!Eu abro Layout e depois em fontes e cores.
Espero ter ajudado!!
Qualquer coisa, já sabe, é só gritar!!!
Beijokas
lindo...extremamente lindo!!
Jaquelyne disse…
Ah, Abraão!!
Agradecida...
Eu os faço com muito amor, e é isso que faz as palavras serem agradáveis!!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido