Chegaste


Ainda bem que chegaste!

Já não mais suportava a estiagem

imposta por um capadócio de outrora.

Ainda bem que chegaste!

Trouxeste-me o brilho perolado

Que havia em meu sorriso.

Ainda bem que chegaste!

Agora nascem flores radiantes

no jardim que antes fora

transformado em cinzas.

Ainda bem, querido,

chegaste!

E assim eu vivo mais

na melíflua presença do amor

que só ele basta nesta vida!

Ainda bem, Amor,

Chegaste!

Já não preciso portas, nem suéteres

para me protegerem do inverno.

Enfim, Amor,

Vieste!

Trazendo-me a luz

que vem desenhada ao teu redor.


Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Juci disse…
Q lindo!!
sabe que me vejo em muitas de tuas palavras..

hehe

xerin
GIUSEPPE MENEZES disse…
Lindo, lindo mesmo *.*
Bjos, Jaquelyne!
Eu Mesmo disse…
eu tenho de vir me inspirar mais vezes aqui em seu blog querida!
grande beijo!
Jaquelyne disse…
Ju, minha querida amiga, obrigada pelo carinho!!
Que bom que você se reconhece em minhas palavras, que não são minhas, são de todos!!
Beijos=*
Jaquelyne disse…
Gepp!!
Sou sua fã!
Beijos=**
Jaquelyne disse…
Paulinho, muito obrigada pelo elogio!!
Ainda tenho muito o que melhorar, e aprender com vocês, que são meus amigos!!
Beijos,querido!!
João Barbosa disse…
Esses versos são maravilhosos, vou sempre visitar o blog para receber inspiração.
Você tem intimidade com as palavras, parabéns.
Bjs, fica com Deus !!!
Jaquelyne disse…
João, obrigada pelo elogio!!
Ah,quem me dera ter intimidade com elas, eu já não seria mais uma espuma branca a passar pelo tempo...
Fica com Deus você também, meu amigo!!Beijos!!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não