Amor de Trovador


Oh, senhor meu
cede-me um pouco
da maciez de teu amor
pois que já vivo
inteiramente de joelhos
rogando-te o coração,
neste chão duro de desilusão.




Jaquelyne de Almeida Costa.

Comentários

GIUSEPPE MENEZES disse…
Gostei, adorei seu trovadorismo ^^
Jaquelyne disse…
Obrigada,gepp!!

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido