A voz delicada em meu coração



Para minha mãe Alcineide Almeida

De repente a voz me desperta
Eu me esqueço de onde estava
Olho pra janela
Vejo a borboleta que lá repousava
Lembrei dela me dizendo que se fosse pra ser bicho
Era borboleta que seria
Pela leveza do ser

Pela beleza de viver um dia inteiro entre flores.

Jaquelyne Costa - Janefli desde nascença

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não