Abandono:





cão sem dono.






Foto: Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Menino-Homem disse…
"cão sem dono
homem também"

e isso é triste! e isso nos faz pensar no quanto somos nada sozinhos... por mais ouro que se tenha, se não há um riso pra dividir, existe mais "cão sem dono"...

você me leva a pensar de formas que não sei explicar, é mais que a linha, é mais que a palavra... solta o barbante e quando vejo
me perco.

beijos muitos,
carinho

do seu menino-que quase foi-homem...
O Profeta disse…
Este mar de fresco azul
Estas pedras sentinelas constantes
Estas ondas que adormecem nelas
Vieram do mundo em formas navegantes

O amargo das uvas verdes
Cede ao sorriso do astro rei
O doce invade os sentidos
E a ternura impõe a sua lei


Boa semana


Mágico beijo
Diu Mota disse…
Não se veja no abandono
Se ao amor custa a doação
Esteja em profundo sono
E continue a sonhar

Com festejo ou enterro
Ele rasgou o peito virgem
E nele finca o dom de amar.
Ilana disse…
Cão sem dono e feliz por poder vagar, longe das restrições de um muro. Sinto apenas por suas necessidades básicas.
Menino-Homem disse…
amor meu
meu amor
feliz do amigo,

que Deus nos coloque sempre lado a lado... amém!
Andréia M. G. disse…
Tenho um amor imenso pelos animais. Se pudesse, cuidaria de todos eles e os protegeria contra os males do mundo. Os cachorros, então, tenho um carinho especial por eles. Gosto muito de uma frase que diz: "Os cachorros são o único amor verdadeiro que o dinheiro pode comprar".

Bj
Fábio Paulos disse…
belas phtos!!

parabens pelo blog
Cecilio disse…
Isso é uma impressão gótica...
Sandra disse…
Tem um lindo presente te esperando em Curiosa e um lindo Jardim de Flores de Esperando no Blog Uma Interação de Amigos.
Passe lá. Ficarei muito Feliz com a sua chegada.
Com muito carinho
Sandra
Léo Metallica disse…
Cão sem dono... mais livre por opção.

Direto do Rio.
Beijos.

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido

Poema do sim e do não