Eterno,morno e feliz


Me vês (?),
Estou como esse céu nublado.
Filtrei o sol ontem
Pela manhã
Quando debruçava-se
E lançava seus mornos braços
Pelo horizonte.

Me vês (?),
Estou como esse céu cinzento
Parado como um teto de chumbo
Pairando silencioso, concreto.

Recebi toda a chuva que choveu
Quando era noite ontem...
Talvez minha aurora chegue
Quando eu puder
Acordar os olhos teus
E aí juntos
Formaremos o dia eterno
Que se deita ao chão
Morno e feliz.




Jaquelyne de Almeida Costa

Comentários

Meg Macedo disse…
Menina, vc escreve super bem. Gostei da poesia e vc deve uma visita ao blog http://www.diarioalicewbrasil.blogspot.com/

Beijos!!!
Jaquelyne disse…
Obrigada,Meg!!
É mesmo!!
Vou passar sim!!
Beijos=**

Postagens mais visitadas deste blog

Descendentes de Ares, doentes de um ódio cancerígeno

Poema do sim e do não

Amor jamais será essa coisa pálida que faz você se sentir pequeno e esquecido